P1+2


Agricultores e agricultoras de comunidades rurais de Assú visitaram tecnologias sociais e experiências agroecológicas de convivência com o Semiárido no município de Campo Grande/ RN.

img

Com o objetivo de trocar conhecimentos e adquirir novas experiências, agricultores e agricultoras das comunidades de Limoeiro, Bom Lugar, Palheiros, Sitio Belo Monte, Sitio Simão e P.A Nova Quixabeirinha, ambas do município de Assú/RN, participaram no dia 16 de janeiro de um intercâmbio intermunicipal, do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2) financiando pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), no município de Campo Grande/RN.

img

 

 

 

 

O intercâmbio foi promovido pela COOPERVIDA e teve a colaboração do Centro Sertão Verde, que disponibilizou o seu animador de campo Miclean, onde este apresentou experiências que levaram a observar as tecnologias sociais que vem ajudando na convivência com o Semiárido e viabilizando condições de produção para os agricultores e agricultoras.

 

 

As visitas aconteceram na experiência de seu Antônio, agricultor experimentador conhecido como o “Jovem”, morador da comunidade rural de Timbaúba. Fruto do Projeto Juventude Rural do Dom Helder Câmara, Jovem produz batata, macaxeira, tomate, alface, mamão, milho, coentro, pimenta, coco, pinha, manga e outras frutas e verduras em seu sítio. O agricultor vende seus produtos na feira da cidade e nos sítios vizinhos.  Nessa experiência os agricultores perceberam a importância da agricultura familiar que traz diversidade de produção, evitando pragas e preservando os nutrientes da terra.

 

Outra visita realizada foi a experiência de Dona Nice. A agricultora tem em sua propriedade uma área produtiva diversificada, com a presença de pés de coqueiro, onde a mesma fez questão que os agricultores e agricultoras visitantes provassem o quanto era doce ás águas do coco. Tem em sua propriedade ainda, hortaliças e plantas medicinais. Toda essa área produtiva foi sendo construída pouco a pouco pela agricultora. “Nunca tive medo de trabalhar, faço porque gosto não me vejo fazendo outra coisa, passo o dia aqui mexendo no meu quintal. Isto me deixa feliz.” argumentou. Dona Nice tem ao lado de sua casa uma cisterna calçadão e aproveita a água acumulada para potencializar o seu plantio.

 

Anna Catarina, animadora de campo do P1+2, ressaltou a importância das famílias começarem a fazer experimentos em sua propriedade, e atentar á formas em que não seja necessário o uso de agrotóxicos para o controle de pragas. “Agora vocês serão agricultores e agricultoras experimentadores/as e não têm uma receita pronta. Temos que ser experimentadores, ou seja, se alguma coisa deu errado, eu não posso fazer pela segunda vez, tenho que aprender com o que não deu certo para conseguir ir melhorando cada vez mais.”, afirmou.

 

Já a agricultora Teresinha Nogueira da Silva, do Sitio Belo Monte, afirmou que ficou surpresa com o bom uso que eles fazem da terra “este intercâmbio foi uma lição de sabedoria para nós, aprendemos como lidar com a seca e tirar o fruto da terra, voltamos para casa com vontade de fazer tudo que vimos.”, finalizou.

 

E para finalizar as visitas, o animador do Núcleo Sertão Verde, levou os agricultores e as agricultoras para conhecer o Mirante do Morcego, localizado na comunidade rural de Morcegos. Mostrando mais uma alternativa para ser realizado em áreas rurais. O Mirante se destaca pela possibilidade em se fazer turismo rural, prática pouco difundida ainda na região.

 

As famílias visitantes se alegraram com o que viram e ficaram cheios de vontade de começar a produzir de forma agroecológica, tendo em vista que, a troca de experiências contribuiu para que os agricultores/as e técnicos/as apresentassem diversas dicas e receitas relacionadas a produção agroecológica.

 

Veja mais fotos:https://www.facebook.com/media/set/?set=a.346288258889740.1073741882.173850716133496&type=1


amigo Recomende esta página a um amigo